quinta-feira, 23 de agosto de 2012

QUANTO TEMPO PASSA...



As pessoas se descobrem.
Os dias vão e vêm
e os sentimentos amadurecem.
Quanto tempo passa...
E as pessoas se conhecem.
Os dias vão e vêm.
E o vento do destino
leva-as pra lá e pra cá,
brincando de pique esconde.
As pessoas passam por perto
e não se encontram, não se veem.
Pisam, respiram o mesmo espaço dimensão - limite.
No entanto, não se encontram,
mas dá pra sentir o aroma que fica.
Dá pra sentir, de maneira cigana,
que as pessoas vão e vêm... pra lá e pra cá.
Impressionante como os sentidos,
os radares, captam os ectoplasmas
dos seres queridos onde o vento
brincalhão não deixa encontrá-los.
Tão perto, mas como distante?
Dentro de si, mas fora do alcance.
05/98

(Primeiros Momentos, 2001)